LMT - Libertação de Memórias Traumáticas


Criado e desenvolvido por Gustavo Meyer, LMT é um Processo Terapêutico que permite a pessoa voltar no tempo e corrigir uma informação registrada no passado, utilizando os novos conceitos científicos de Física Quântica, atuando diretamente no seu arquivo de memórias tanto conscientes quanto inconscientes, onde informações traumáticas ficam armazenadas, aguardando o momento de serem reprogramadas.

Todo procedimento é realizado em plena consciência, ou seja, não se trata de nenhum método hipnótico ou de regressão a vidas passadas, e nem tampouco de qualquer forma de sugestionamento.

Através de pontos sensíveis no campo da visão, que estão ligados a áreas da memória inconsciente, conseguimos reprogramar as informações ali registradas, sobre traumas do passado, que deixaram marcas na mente e no cérebro.

Este tratamento pode ser aplicado, tanto em adultos quanto em crianças, em praticamente todas as questões emocionais, tais como: medo de dirigir, fobias, transtorno de estresse pós-traumático, abuso sexual, preparação para cirurgias, provas diversas (vestibular), traumas de acidentes de trânsito, assaltos, fibromialgia, gagueira, disfunções sexuais, medo de falar em público, depressão, dor fantasma, maus tratos na infância, depressão, ansiedade, obesidade, etc.


O que é um trauma?

Trauma se caracteriza pela vivência de uma experiência sobre a qual não temos conhecimento, e, naturalmente, não sabemos lidar adequadamente com ela, no momento em que ocorre.

Todo evento que produz um trauma sempre ocorre no presente com a pessoa no seu estado consciente (mesmo quando durante o sono); cria uma marca na memória subconsciente (pós-evento) e, em seguida, é guardado no inconsciente (arquivo sobre o qual não temos acesso ou controle consciente).

Traumas criam marcas no cérebro e se tornam caminhos, através dos quais a informação proveniente da memória inconsciente trafega, e formam hábitos comportamentais, que podem ser cada vez mais facilmente percorridos.

O trauma leva a pessoa a diversas formas de comportamento anormal, como por exemplo: vergonha de falar sobre o assunto, medo da lembrança, ansiedade, depressão, fobia, sempre que algo tiver qualquer forma de relação com o evento traumatizante, porque nossa memória é associativa.

Um estudo do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina de Harvard feito com pessoas que sofreram traumas, mostrou sua influência sobre o cérebro. Essas pessoas foram colocadas em um scanner de tomografia e expostas ao fato gerador do trauma. Enquanto isso, os cientistas puderam perceber que partes do cérebro eram ativadas e desativadas durante o período em que a pessoa revivia as emoções daquele fato. A amígdala e a região adjacente - o centro do medo no cérebro emocional, foram os mais ativados, além do córtex visual, como se a pessoa estivesse vendo o evento, naquele momento, e sofrendo da mesma forma.

Além disso, puderam perceber a desativação, como uma forma de amnésia, na área de Broca, no córtex pré-frontal esquerdo, área responsável pela linguagem verbal, o que permite compreender, quando a pessoa diz: "não tenho palavras para descrever o que passei".

No entanto, particularmente, devido a minha convicção sobre a vida ser produzida e alimentada pela nossa mente espiritual, sem a qual nosso corpo seria uma estrutura biológica sem vida, não creio ser o nosso maravilhoso instrumento cerebral o responsável pela interpretação e decodificação de todas as informações que nos atingem de todas as formas.

Todas as pessoas experimentam situações traumáticas, capazes de produzir danos maiores ou menores, pelo menos uma vez em suas vidas. Experiências como a perda de emprego, uma separação dolorosa, um acidente, a morte de um ente muito querido, uma traição, etc. Isso deixa uma cicatriz emocional, que até pode ser, algumas vezes, disfarçada. No entanto, muito dificilmente, senão impossível, de ser eliminada completamente usando as práticas convencionais.

Sem dúvida, todos pensam sobre o fato, avaliam sua natureza, imaginam outras possibilidades e alternativas, recebem conselhos diversos, lêem sobre o assunto e se comparam com outros exemplos semelhantes. Lêem, pelo menos um livro de auto-ajuda, assistem palestras, participam de grupos de ajuda, e, "sabem" bem como deveríam se sentir. Mas, não conseguem se livrar do trauma.

Mesmo que as pessoas saibam, que o evento já ficou no passado, muitas vezes após terem se passado vários anos, elas não se sentem seguras. 

No entanto, tudo isso fornece uma contribuição inestimável para o processo da autocura, e é justamente, sobre isso que o LMT se apóia para permitir a correção do problema. São essas informações diversas que formam um conteúdo consciente sobre a vontade e intenção que a pessoa tem de alcançar a solução do problema. Isto quer dizer que, conscientemente, ela sabe como deveria estar se sentindo e comportando, e é essa "sabedoria" que nos permite reprogramar a informação registrada no inconsciente através das novas conscientizações, que o Processo do LMT proporciona.

Porque existe uma verdade incontestável: "aquilo que a mente interpretou e registrou, somente ela pode reinterpretar e fazer um novo registro."



Atendimentos

A terapia de LMT - Libertação de Memórias Traumáticas pode ser aplicada em consultório, ou, a distância via Skype.

Para agendar seu atendimento o Cliente entra em contato via email ou telefone e escolhe dia e hora preferidas.

Após o agendamento, quando for a distância, entramos em contato online (Skype) e na ocasião o Cliente expõe as questões que lhe incomodam e objetivos a serem alcançados.

O atendimento tem duração de 01 (uma) hora.


Acesse o site: www.gustavomeyercoach.com.br  e saiba mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito grato pela sua presença e participação.